Gestão Anastasia: presídio de Caratinga capacita presos para trabalho em lavanderia industrial

CARATINGA (18/01/12) – Detentos do Presídio de Caratinga, localizado no Vale do Rio Doce, participam do Curso de Capacitação em Lavanderia Industrial, que tem carga horária de 120 horas-aula. O objetivo é oferecer oportunidade de emprego e geração de renda, por meio do aprendizado de uma atividade profissional. Doze detentos passam pela capacitação, que termina nesta sexta-feira (20), e é dividida em três módulos. O primeiro é ministrado por uma equipe multidisciplinar, formada por psicóloga, assistente social, assistente técnico jurídico e agentes penitenciários da própria unidade. O segundo e terceiro módulos são formados por detentos que já realizaram o curso.

O secretário de Estado de Defesa Social, Lafayette Andrada, explica que cursos de capacitação como este fazem parte das políticas de ressocialização dos presos e inserção no mercado de trabalho. “O resultado de todos os esforços feitos até agora é o número de presos em atividades de serviços e produção, o maior do país. São 11.500 em todo o Estado”, ressalta o secretário.

No presídio funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, uma lavanderia operada por dois presos, que cuidam de aproximadamente 500 quilos de roupas por dia. Eles foram capacitados por meio de vídeo-aulas, utilizadas pelo gerente de produção, Ralph Capute, e agora esses detentos são instrutores do curso. Para o aluno Aloízio Pereira do Nascimento, 43 anos, “a iniciativa é muito boa, pois aprendendo uma profissão não vou mais entrar no crime quando sair daqui”.

Conteúdo

O diretor-geral da unidade, Jules Harry dos Santos Almeida, considera o curso “de suma importância para que os detentos tenham oportunidades, a partir do aprendizado de um novo ofício”. A atividade é coordenada pela pedagoga Célia de Fátima Bitencourt e pelo gerente de produção Ralph Capute. No primeiro módulo são ministradas disciplinas relacionadas às habilidades de gestão e formação geral, dentre as quais, relações interpessoais, ética e cidadania, e educação para o trabalho. Já no segundo e terceiro módulos são abordadas as técnicas específicas de lavanderia industrial, como lavagem e centrifugação, processamento, coleta e acondicionamento de roupas, segurança em lavanderia, além de atividades práticas voltadas para a fixação dos conteúdos. Ao final do curso, serão expedidos certificados para os detentos que obtiverem aproveitamento mínimo de 60 pontos e frequência mínima de 75%.

Fonte: Agência Minas

0 comments… add one

Leave a Comment