Gestão Eficiente: presos do Sul de Minas cultivam horta com orientações da Emater

Alimentos cultivados são doados para escolas públicas, creches, unidades de Apaes e instituições filantrópicas

O cultivo de horta com técnicas agroecológicas por detentos do presídio de Campos Gerais, no Sul de Minas, está incentivando a socialização de homens que cumprem pena no local. A iniciativa, que conta com a participação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), regional Alfenas, gera ainda alimentos mais saudáveis que abastecem escolas públicas, creches, unidades da Apaes e instituições filantrópicas do município. Também motiva o bom comportamento do preso, pois permite a redução da pena. A cada três dias trabalhados, o presidiário diminui em um dia o período da condenação.

“Atendendo à demanda da administração da penitenciária, fizemos um projeto de custo da horta, contemplando materiais necessários como tipos de hortaliças e compostos orgânicos necessários. Estabelecemos também a época de plantio”, conta a extensionista agropecuária do escritório da empresa, Samantha Martinez. Segundo ela, a Emater-MG já ministrou dois cursos de manejo de horta com bases agroecológicas para um grupo de detentos do presídio. “Por enquanto trabalhamos com um grupo menor, que tem bom comportamento. Mas eles estão sendo capacitados para multiplicar o aprendizado com os demais”, informa.

O presidio de Campos Gerais abriga 59 presos em regime fechado. A horta, que ocupa cerca de 10 mil metros quadrados, é cultivada em um terreno alugado pela prefeitura. As mudas foram adquiridas com recursos do Conselho da Comunidade. No local estão sendo cultivadas verduras e legumes variados como alface, couve, beterraba, cenoura, repolho, cebolinha, salsa, abóbora, pepino, quiabo, jiló, berinjela, tomate cereja, pimenta, e em breve mandioca, segundo a extensionista da Emater-MG.

Todo o plantio obedece às recomendações técnicas da empresa, que recomenda a utilização de caldas naturais à base de plantas, para combater doenças e pragas, evitando assim produtos químicos na produção. “As galinhas poedeiras criadas no local também são úteis para o manejo natural das plantas, pois fornecem esterco que é usado como adubos”, informa a técnica Martinez.

O diretor adjunto do presídio, Carlos Roberto Aguiar Júnior, confirma que a instituição já trabalha com a perspectiva de incluir mais detentos na atividade. “Estamos aguardando a reforma de mais um anexo para abrigar os presos de regime semiaberto, que hoje têm autorização do juiz da comarca de Campos Gerais para cumprir a pena fora daqui. Quando esse espaço estiver pronto, vamos incluir mais internos no trabalho”, garante.

Para o diretor, “o trabalho dignifica o homem” e por isso, os presos participantes do projeto estão satisfeitos com os resultados. “Percebo que eles se sentem bem, principalmente durante a distribuição dos produtos para a comunidade. Esperamos contar cada vez mais com a ajuda da Emater-MG”, salienta.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/presos-do-sul-de-minas-cultivam-horta-com-orientacoes-da-emater/

0 comments… add one

Leave a Comment