Governo de Minas: detentos recebem cartão bancário e certificados de curso de piscicultura

O cartão magnético integra uma das ações do Programa Trabalhando a Cidadania da Seds e já beneficia cerca de 1.500 detentos na RMBH
Bernardo Rezende
Minas Gerais é o primeiro estado do país a criar peixes dentro de uma unidade prisional
Minas Gerais é o primeiro estado do país a criar peixes dentro de uma unidade prisional

A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), e o Banco do Brasil entregaram, nesta terça- feira (28), cartões magnéticos para 60 presos da Penitenciária José Maria Alkmin, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). A iniciativa permite que os detentos saquem, em qualquer agência ou caixa eletrônico, o pagamento que recebem pelos trabalhos realizados em parceria com a iniciativa privada.

O cartão magnético, lançado em março de 2011 pelo governador Antonio Anastasia, integra uma das ações do Programa Trabalhando a Cidadania da Seds e já beneficia cerca de 1.500 detentos na RMBH. “O cartão vai facilitar muito a vida da minha família. Antes, eu entregava o dinheiro à minha esposa no dia da saída temporária ou nos dias de visita. Agora, o cartão ficará com ela”, destacou o detento José Walter Alves da Silva, que trabalha com pintura em uma empresa parceira da penitenciária.

Para o secretário Adjunto de Defesa Social, Robson Lucas da Silva, além de diminuir a circulação de dinheiro dentro das unidades prisionais, o lançamento do cartão magnético confere mais cidadania aos presos do sistema penitenciário de Minas Gerais. “Essa ação demonstra o esforço do Governo de Minas em ampliar, modernizar e humanizar o sistema prisional”, disse. Já o gerente de relacionamento da Agência Setor Público do Banco do Brasil, Márcio Amaral, ressaltou que o cartão é muito mais do que um produto. “Ele é um benefício social”, destacou.

Atualmente, cerca de 850 detentos trabalham na Penitenciária José Maria Alkmin. Com a entrega dos novos cartões, o número de presos beneficiados na unidade chega a 150.  “Um dos requisitos para a confecção do cartão é a apresentação da Certidão de Nascimento, da Carteira de Identidade (CI) e do Cadastro de Pessoa Física (CPF)”, explica o diretor geral da unidade prisional, Igor de Pinho Tavares.

Piscicultura

Na oportunidade, também foram entregues os certificados de conclusão do curso de piscicultura a oito presos do Presídio Antônio Dutra Ladeira, que agora trabalham com a criação de peixes na unidade. O curso, que teve duração de aproximadamente sete meses, foi ministrado por professores e doutorandos da Escola de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Os detentos aprenderam a criar e tratar os peixes, bem como identificar qual ração utilizar em cada fase da vida dos animais e como fazer a higienização do local, além de como deve ser realizada a despesca. A atividade é realizada em parceria entre a Seds, a UFMG e o Ministério da Pesca e Aquicultura. Minas Gerais é o primeiro estado do país a criar peixes dentro de uma unidade prisional.

Fonte: Agência Minas

0 comments… add one

Leave a Comment