Governo de Minas: projeto mineiro Cidade das Águas vai trabalhar pela América Latina e África

FRUTAL (19/01/12) – Com a população do planeta chegando a 7 bilhões de pessoas e com o aquecimento global manifestando as suas conseqüências, a água tem se tornado cada vez mais motivo de preocupação das nações, sendo que algumas delas já vive o drama da restrição a esse bem natural. Focado em atitudes práticas e capazes de mudar o cenário pessimista que vem sendo apresentado por especialistas do mundo inteiro, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), lançou em setembro de 2011 a Cidade das Águas, no Triângulo Mineiro.

Trata-se de uma resposta ao desafio da preservação da água, tendo um complexo que reunirá instituições estaduais, federais e privadas, nacionais e internacionais, em um mesmo ambiente de convivência e interatividade, para estudar gestão, preservação e recuperação das águas superficiais e subterrâneas.

Com inauguração prevista para 2014, a Cidade das Águas é uma iniciativa apoiada pela Unesco e ancorada no Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Água (Unesco-HidroEX). Os governos mineiro e federal já investiram R$ 50 milhões na elaboração de projetos, intercâmbios e na infraestrutura do Instituto Unesco-Hidroex e do campus da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg). Contudo, a previsão é de investir mais R$ 80 milhões nos próximos dois anos, totalizando R$ 130 milhões. Além de atender ao Brasil, a Cidade das Águas terá suas atividades voltadas para os países da América Latina e da África de língua portuguesa, promovendo a transferência de tecnologia em gestão de águas para a produção de alimentos. Esse é um compromisso do Estado de Minas Gerais com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Unesco-HidroEX

Com o lançamento da Cidade das Águas, entrou em funcionamento a nova sede do Unesco-Hidroex, localizada em Frutal,  às margens do Rio Grande, em área de cerrado e no coração do Brasil. O instituto foi criado em 2009 pelo Governo de Minas, com o objetivo de planejar, coordenar, executar, controlar e avaliar programas e projetos de defesa e preservação do meio ambiente, relativos à gestão dos recursos hídricos.

Durante a cerimônia de lançamento, Joop Schutter, diretor do Instituto para Educação em Águas (IHE) da Unesco – único centro de categoria I, localizado em Delft (Holanda) – destacou a importância da ligação do HidroEX à Unesco. “Somos a principal instituição responsável pela educação, treinamento e pesquisa em águas no mundo e temos cooperado com o HidroEX especialmente na elaboração de um currículo de pós- graduação. Acreditamos ser esta uma grande iniciativa de Minas Gerais e do Brasil, de desenvolver a Cidade das Águas e se juntar a Unesco, criando uma rede com diversas instituições trabalhando juntas em projetos de pesquisa. Estamos ansiosos em começar o trabalho juntos e ver estudantes de todas as partes do mundo realizando seus estudos no HidroEX”.

Condomínio temático

A Cidade das Águas vai abrigar o primeiro Condomínio Temático de Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa e Desenvolvimento, que reunirá oito universidades em pesquisas e projetos relacionados à água: Ufla (Lavras), Uemg, UFV (Viçosa), Ufop (Ouro Preto), UFMG, UFTM (Triângulo Mineiro), UFU (Uberlândia) e PUC Minas. O condomínio terá ainda unidades avançadas da Agência Nacional de Águas (ANA), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com o Núcleo de Tecnologia em Irrigação (Nurii), Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e Instituto Estadual de Florestas (IEF). Novas entidades, instituições e empresas poderão integrar o projeto.

Em parceria com instituições da Alemanha, dentre elas a University of Applied Science Weihenstephan-Triesdorf e a Technische Universität Dresden, o Unesco-HidroEX conduzirá estudos das águas superficiais e subterrâneas do Triângulo Mineiro. O projeto custará R$ 2,5 milhões, custeados pelas instituições alemãs.

Espaço Cousteau

A Cidade das Águas terá o Espaço Cousteau para as águas, projeto a ser desenvolvido pelo IFTM em parceria com o HidroEX. Trata-se de moderna estrutura arquitetônica — dentro dos melhores padrões internacionais — para abrigar um amplo espaço de visitação com a exposição das atividades de pesquisa desenvolvidas por Jacques Cousteau pelos rios e mares do mundo, incluindo o material de expedição pela Amazônia.

Fórum Mundial das Águas

Convidado pelo presidente do Conselho Mundial das Águas, Löic Fauchon, o secretário Narcio Rodrigues irá apresentar a Cidade das Águas no 6º Fórum Mundial das Águas, que acontece em Marselha, França, no mês de março. “O tema deste fórum será Soluções, e a Cidade das Águas é vista, hoje, como uma grande solução para a futura gestão dos recursos hídricos na terra”, explicou Narcio.

Cidade das Águas pode ser assumida pelas Nações Unidas

Em encontros na sede da Unesco, em Paris, o secretário mineiro e o presidente do Unesco-HidroEX, Octávio Elísio, discutiram a possibilidade da Cidade das Águas ser transformada em um centro da Unesco antes mesmo de sua conclusão. A embaixadora do Brasil na Unesco, Maria Laura da Rocha, informou que a equipe do Itamaraty está “pronta” para entrar na “campanha” visando à transformação do HidroEX, que hoje é um centro de Categoria II (chancelado pela Unesco) em um Centro de Categoria I (de propriedade da própria Unesco).

Narcio e Octavio Elísio também foram recebidos pela cúpula do IHE, responsável pela orientação pedagógica e pela implantação do Unesco-HidroEX. De acordo com o reitor do IHE, professor Andras Nagy, a Unesco planeja para os próximos anos a abertura de quatro novos campi no mundo: um para a América Latina e o Caribe, outro para a África e mais um para a Ásia. A expectativa é de que em setembro sejam abertas as inscrições para os centros que queiram abrigar esses campi. A Cidade das Águas vai preparar sua documentação, avançar na sua implantação física e nas suas atividades pedagógicas para concorrer e se transformar no campus dedicado à América Latina e ao Caribe, passando a ser propriedade das Nações Unidas.

Segundo o secretário, a equipe do Unesco-HidroEX irá “cuidar de todos os detalhes necessários à obtenção dessa conquista” e se articular, junto ao governo federal e estadual, para “fechar o orçamento necessário” à conclusão das obras. “É uma oportunidade única e nós não podemos perdê-la”, observou.

Cleo Pires ratifica  envolvimento com o Unesco-HidroEX

A atriz Cleo Pires, designada embaixadora das Águas da Unesco, atuará nos próximos três anos na divulgação de ações conduzidas pela Cidade das Águas. Segundo o secretário Narcio Rodrigues, como figura pública, a atriz pode trazer visibilidade ao complexo e à situação das águas no Brasil, chamando a atenção da opinião pública para questões ambientais.

Um dos projetos discutidos foi a capacitação de 75 professores de Frutal e região, que vão atuar com os seus alunos na revitalização do Ribeirão Frutal. Além de acertar as diretrizes do seu trabalho com o Unesco HidroEX, Cleo Pires recebeu convite do secretário Narcio para acompanhar a comitiva mineira que vai apresentar a Cidade das Águas no Fórum Mundial das Águas.

Fonte: Agência Minas

0 comments… add one

Leave a Comment