Prefeito de Viçosa pode ser cassado

Para pedir a cassação do prefeito a população se baseia em processos por improbidade administrativa em investigação no MP.

Há mais de um ano população tentar tirar prefeito

Fonte: O Tempo

Vereadores de Viçosa, abriram processo que pode culminar na cassação do prefeito Celito Sari. Foto: Divulgação

Vereadores de Viçosa abriram processo que pode culminar na cassação do prefeito Celito Sari. Foto: Divulgação

População exige impeachment de prefeito de Viçosa

Moradores usam ações na Justiça para embasar pedido

Os vereadores de Viçosa, na Zona da Mata, abriram processo que pode culminar na cassação do prefeito Celito Sari (PR). Em sessão plenária realizada na noite desta terça, os parlamentares votaram e aprovaram pedido de abertura de processo de impeachment feito a partir de uma solicitação assinada por 743 moradores do município. As assinaturas foram coletadas pelo movimento “Ame Viçosa”.

A partir de agora uma comissão formada por três vereadores (escolhidos por sorteio) conduz o processo de impeachment. Após notificado, o prefeito Celito Sari tem 90 dias para apresentar sua defesa por meio de documentos e da convocação de até 10 testemunhas.

Com uma população de 73 mil habitantes, os vereadores receberam pedido por meio de uma carta assinada por 743 moradores em dois dias de coleta, na última semana. “Estamos há mais de um ano lutando contra a corrupção, fazendo denúncias contra essa administração. Uma assinatura bastaria para abrir processo contra o prefeito, mas preferimos fazer essa coleta, durante dois dias, para que ninguém fosse perseguido”, afirmou Jershon Morais, membro do movimento.

Para pedir a cassação do prefeito a população se baseia em processos por improbidade administrativa em investigação no Ministério Público. Seriam pelo menos 30 processos contra irregularidades praticadas por Sari.

Os moradores se baseiam ainda em relatórios de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) concluídas na Câmara Municipal no ano passado. Na época, os vereadores apuraram denúncias de superfaturamento e desvio de dinheiro público no caso da compra de medicamentos e da gestão do Terminal Rodoviário do município.

Outro escândalo que baseou a coleta das assinaturas é o chamado “Caso Sarsan”, que gerou indiciamento do prefeito pela Polícia Civil em processo de suposta fraude na licitação de construção da Usina de Resíduos Sólidos do município.

A sessão desta terça na Câmara foi marcada, também, por apoio à atual administração. Uma outra carta foi levada a plenário pedindo “punição aos perseguidores” e afirmando que o prefeito não poderia ser retirado do cargo por “manifestação de uma minoria”.

Escândalos

* CPI dos Medicamentos. Apontou tentativa de compra de remédios com preço superfaturado.

* CPI da Rodoviária. Apurou desvio de dinheiro público e superfaturamento no Terminal da cidade.

* Caso Sarsan. Prefeito foi indiciado pela Polícia Civil por suposta fraude em licitação na construção da Usina de Resíduos Sólidos.

* MP. O prefeito Celito Sari responde a cerca de 30 processos de investigação abertos pelo órgão.

0 comments… add one

Leave a Comment