Minas: projeto “Alegria de Viver”

Conservatório Estadual de Música em Uberaba desenvolve projeto “Alegria de Viver,” para a terceira idade

Minas Gerais: projeto para a terceira

Fonte: Agência Minas

Iniciativa consiste em um coral com acompanhamento instrumental de percussão e corda; repertório é composto por seresta, música sertaneja, valsas, chorinhos e samba

Há mais de cinco anos, Esméria Regina Silva Ferrari vê na música uma oportunidade de tornar sua vida melhor. Estudante de flauta doce e violão caipira, a integrante do coral do Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi, em Uberaba, participa do projeto “Alegria de Viver”, iniciativa que leva a música para a terceira idade.

Esméria conta porque decidiu participar do projeto. “Sou uma pessoa que não se considera plenamente realizada e, por isso, estou sempre buscando coisas novas para minha vida. Acredito que a vida tem sempre coisas novas para ensinar e eu nunca quero parar de aprender”, ressalta.

A aluna do Conservatório revela que sempre foi apreciadora da música, mas que seu verdadeiro contato com essa expressão artística se deu com a participação no projeto. “Sempre fui apreciadora, mas nunca estudante. O verdadeiro contato com a música aconteceu através do projeto. A música antes era um mistério e hoje algumas facetas desse mistério eu já conheço”, disse. Ela conta ainda os benefícios que o “Alegria de Viver” trouxe para sua vida. “Me trouxe mais alegria, mais prazer na apreciação de uma música e mais facilidade de relacionar com as pessoas . Quando estou cantando, estou alegre”, conclui.

O projeto teve início em 2007 e foi criado com o objetivo de ofertar aos moradores da cidade de Uberaba uma opção a mais de entretenimento. “Observamos que tinham muitos idosos que vinham até a escola para trazer seus filhos ou netos e que muitos deles não tinham muitas opções de atividades para fazer no tempo livre. O projeto vem, por meio da música, resgatar desejos antigos. Hoje, contamos com alunos com idade entre 50 e 80 anos”, afirma uma das coordenadoras da ação, Lídia Pucci de Assis. O projeto conta também com a coordenação de Maria Alice Olivieri Paiva.

A iniciativa consiste em um coral com acompanhamento instrumental de percussão e corda. O repertório é composto por seresta, música sertaneja, valsas, chorinhos e samba. “Buscamos resgatar um repertório com o qual os alunos se identificam de alguma maneira. A tonalidade do trabalho é feita junto com eles”, ressalta Lídia.

Os participantes do projeto têm aulas regulares nos cursos do Conservatório e uma vez por semana participam dos ensaios do coral.  “Nas aulas fazemos um trabalho de leitura das notas, estudamos as cifras e acordes para que eles possam estar acompanhando as aulas. Nos ensaios damos um reforço do que é visto na sala de aula”, conclui Lídia.

Atualmente, o “Alegria de Viver” conta com cerca de 100 alunos. Para o supervisor pedagógico do Conservatório, Mário Jaime Majaca, a iniciativa tem trazido muitos benefícios para a comunidade. “Estamos conseguindo atingir o nosso compromisso social com a comunidade. Vemos o envolvimento e a participação dos alunos e, mais que isso, o bem estar. Também é possível ver a alegria nos olhos deles durante as apresentações”, destaca.

Apresentações para comunidade

O coral realiza apresentações em diferentes eventos. Na quarta-feira (30), será realizado no Centro Cultural José Maria Barra, no Sesiminas, em Uberaba, o “Seresta, Alegria de Viver”. A faixa etária é livre e o ingresso deverá ser trocado por um litro de óleo ou um quilo de café. A apresentação terá início às 20h.

Conservatórios

Atualmente, são 12 os Conservatórios Estaduais de Música mantidos pela Secretaria de Estado de Educação. Eles estão localizados nas cidades de Araguari, Ituiutaba, Uberaba e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, em São João del-Rei, Juiz de Fora, Leopoldina e Visconde do Rio Banco, cidades da Zona da Mata, em Montes Claros, no Norte de Minas, Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, e em Pouso Alegre e Varginha, no Sul do Estado. Minas Gerais é o único estado do Brasil que conta com escolas de música na rede pública de ensino.

0 comments… add one

Leave a Comment