Minas: Projeto Economia Solidária

 Minas Gerais: Escola Estadual Professora Francisca Pereira Rodrigues recebe a Medalha Paulo Freire

Minas Gerais: Economia Solidária

Fonte: Agência Minas

Reconhecimento nacional foi pelo projeto desenvolvido com alunos da Educação de Jovens e Adultos, na zona da Tama

Para diminuir a evasão escolar e melhorar a autoestima de seus alunos do turno noturno da Educação de Jovens e Adultos (EJA), a equipe da Escola Estadual Professora Francisca Pereira Rodrigues, do município de Piraúba, na Zona da Mata, desenvolveu o projeto ‘Economia Solidária’. O projeto vai receber reconhecimento nacional. A escola será agraciada com a Medalha Paulo Freire, concedida pelo Ministério da Educação (MEC).

A entrega será na abertura XIII Encontro Nacional de Educação de Jovens e Adultos (ENEJA), em Natal (RN). Viajaram para receber a premiação a diretora da escola, Andrêssa Maria Demolinari Neiva, a coordenadora do projeto, Márcia Lourenço Vidal, a vice-diretora Sandra Toledo Xavier Melo e a professora de Língua Portuguesa Claudia Maria Loures Paiva. A medalha, que será uma obra de arte produzida exclusivamente para a premiação, reconhece e estimula experiências educacionais voltadas para a Educação de Jovens e Adultos no Brasil.

Para a gestora da escola, o prêmio motiva todos os envolvidos. “É um impulso para professores e alunos. Eles estão se sentindo valorizados. Essa é uma conquista que tem um valor muito grande”, diz a educadora. Além da escola mineira, vão receber medalhas experiências desenvolvidas pelo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (RO), da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo (SP), da Secretaria Municipal de Maracanaú (CE) e da Prefeitura Municipal de Uberlândia (MG). A Secretaria Municipal de Educação de Manaus (AM) foi agraciada com uma menção honrosa.

Além de receberem a premiação, as educadoras de Piraúba ainda terão a oportunidade de apresentar aos participantes do ENEJA, educadores da EJA de todo o país, um vídeo sobre o trabalho que desenvolveram com seus alunos. “A gente quer mostrar que há uma maneira melhor de educar e trabalhamos com muita dedicação, amor e união, com a participação de todos os professores”, afirma a coordenadora do projeto, Márcia Lourenço Vidal. O trabalho continua, segundo a coordenadora. “Esse ano, o projeto recebeu o nome ‘Economia Solidária em EJA: Novos Tempos. Estamos indo além e correndo atrás para melhorar ainda mais a educação e levar o nome da nossa escola longe”.

O projeto

O piloto do projeto ‘Economia Solidária’ nasceu em 2011. A partir de então, a escola passou a oferecer oficinas voltadas para culinária, horta doméstica e artesanato, em aulas ministradas durante os finais de semana. Trabalhos voltados para as relações interpessoais no ambiente escolar e familiar foram igualmente priorizados nos encontros, realizados com a colaboração de voluntários locais, profissionais e especialistas. Em 2011 e 2012, cerca de 120 alunos participaram do projeto.

0 comments… add one

Leave a Comment