Confins ganha novo gestor

BH Airport, a concessionária que vai gerir o Aeroporto de Confins por 30 anos, apresentou o plano de investimento até 2024.

SOB NOVA DIREÇÃO

Fonte: O Tempo

bh_airport

Segundo a BH Airport, uma nova área de embarque e desembarque internacional, mais balcões de check-in e novas esteiras de bagagens também fazem parte dos planos da empresa. Foto: João Godinho / O Tempo

Nova concessionária assume gestão do Aeroporto Tancredo Neves

Segundo o novo grupo gestor, investimento de R$ 1,5 bilhão irá dobrar a capacidade anual de passageiros do terminal em dez anos

QUEILA ARIADNE e ENNIO RODRIGUES

A gestão privada do Aeroporto Internacional Tancredo Neves começa a entrar em vigor a partir desta terça-feira (12). A divulgação oficial foi feita nesta segunda-feira (11) e anunciou também o investimento de R$ 1,5 bilhão no terminal na próxima década. Com 51% do controle acionário vindo de três grupos privados (CCR S/A, Zurich Airport International AG e Munich Airport International Beteiligungs GMBH) e 49% pertencente à estatal Infraero, a empresa que gerenciará o aeroporto se chama BH Airport.

A concessão dada pelo governo federal vale por 30 anos e, nesta segunda (11), o grupo apresentou o plano de investimento para os primeiros dez. Entre os compromissos assumidos estão a construção do Terminal 2, ampliação do pátio das aeronaves e 1455 novas vagas de estacionamento para veículos. Em 2024, a capacidade de transporte de passageiros terá saltado de 10 para 20 milhões por ano.

Segundo a BH Airport, uma nova área de embarque e desembarque internacional, mais balcões de check-in e novas esteiras de bagagens também fazem parte dos planos da empresa. Ao final dos 30 anos de concessão, espera-se que o Aeroporto de Belo Horizonte tenha recebido 3,5 bilhões de reais em investimento e que tenha capacidade anual de 43 milhões de passageiros por ano.

De acordo com o ministro-chefe da Aviação Civil, Moreira Franco, que estava presente, além das questões estruturais, o conforto dos usuários e o atendimento às suas reclamações também é importante. O ministro destacou as duas principais queixas demonstradas na última pesquisa de satisfação realizada pela Secretaria de Aviação Civil: o cuidado com os sanitários e também o preço dos alimentos na aeroporto.

“Puxadinho” não será removido

A BH Airport também esclareceu que os investimentos feitos na construção do Terminal 3, apelidado de “puxadinho”, não serão desperdiçados. A estação móvel será mantida na planta pelos novos gestores.

Durante o evento, a Infraero explicou ainda que os empregados da estatal não perderão seus empregos com a mudança.  Nos três primeiros meses, o quadro de funcionários ajudará na transição para o novo modelo e estará à disposição da BH Airport para ocupar novos postos. Caso eles não sejam aproveitados até o final dos noventa dias, que podem ser prorrogados para seis meses, a Infraero garantirá a transferência dos concursados

0 comments… add one

Leave a Comment