Aécio diz que PSDB acompanha com preocupação a crise política

Oposição manteve cautela após anúncio do rompimento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, com governo Dilma Rousseff.

Brasil sem rumo

Fonte: O Globo

aecio-neves-bandeira

Presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, afirma que partido está atento ao que ocorre no país. Foto: Givaldo Barbosa / Agência O Globo.

Aécio diz que PSDB ‘acompanha com preocupação’ agravamento do quadro político

Desde o rompimento de Cunha com o governo, oposição se manifesta com cautela

O presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, afirmou neste sábado que acompanha com “preocupação” o agravamento do quadro político no país. Desde sexta-feira, com o anúncio do rompimento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, com o governo Dilma Rousseff, a oposição manteve cautela.

— O PSDB acompanha com preocupação o agravamento do quadro político no país. Continuaremos atentos ao nosso papel de defender as nossas instituições para qu elas cumpram suas funções constitucionais. Todas as denúncias têm que ser investigadas, respeitado o amplo direito de defesa — afirmou o tucano.

Ontem, o líder do DEM, Mendonça Filho (PE) afirmou que Cunha já tem uma postura de independente e crítica ao governo e acredita que, mesmo como opositor, continuará guardando a dimensão das prerrogativas do cargo. O líder do DEM, no entanto, demonstrou preocupação com o fato.

— A gente sai de uma crise política para virar agora uma crise institucional. É muito ruim, até porque o contorno dessa crise envolve uma crise econômica, a mais grave dos últimos 20 anos, e uma crise moral e ética, que tem como foco principal o Petrolão. É algo bastante preocupante, temos que agir com responsabilidade, temos que ter a apuração dos fatos e o direito de defesa preservados — disse Mendonça Filho.

Presidente nacional do Solidariedade, o deputado Paulo Pereira da Silva (SP), divulgou nota, ontem, em apoio a Cunha e disse que o governo “apaga fogo com gasolina” ao irritar Cunha. Paulinho, aliado de primeira hora do presidente da Câmara, diz ainda que agora na oposição ajudará a derrubar a presidente Dilma Rousseff do cargo.

— Eu falei com ele cedo, estava muito irritado com as manobras e me disse que romperia com o governo. Achei bom, porque o meu negócio é derrubar a Dilma. Estamos lidando com um governo incompetente, que em vez de atrair o Cunha, jogou para o nosso lado uma das figuras mais importantes da República, apagou fogo com gasolina. Agora para nós, da oposição, cabe resgatar aliança antiga do PMDB com o PSDB. Se conseguirmos, será o primeiro passo para derrubar a Dilma — disse Paulinho.

0 comments… add one

Leave a Comment