Parque Estadual do Sumidouro ganha projeto de sinalização

O projeto destaca uma série de riquezas culturais e naturais. A iniciativa beneficia tanto moradores dos municípios quanto turistas que visitam a região.

Fonte: Agência Minas

Fazem parte do projeto placas de boas-vindas às comunidades, identificação de patrimônios históricos e turístico.

Fazem parte do projeto placas de boas-vindas às comunidades, identificação de patrimônios históricos e turístico. 

O Parque Estadual do Sumidouro, em parceria com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e outras instituições, inaugura, na próxima quinta-feira (23/6), às 17h, o Projeto de Sinalização Estrada Real do Sumidouro. A iniciativa vai beneficiar os moradores dos municípios de Jaboticatubas, Pedro Leopoldo, Lagoa Santa e Matozinhos, além de milhares de turistas que frequentam o parque anualmente.

O projeto destaca uma série de riquezas culturais e naturais de importante território vinculado ao início da formação de Minas Gerais. “O trecho de sinalização abrange também um conjunto de unidades de conservação estaduais. O conteúdo da sinalização promove, além da educação para o trânsito, a valorização de elementos naturais e culturais da região. Outras instituições localizadas em Lagoa Santa e Matozinhos também serão beneficiados com projetos semelhantes”, afirma o gestor do parque, Rogério Tavares de Oliveira.

Fazem parte do projeto placas de boas-vindas às comunidades, identificação de patrimônios históricos e turísticos, pontos de informações turísticas e alertas para trânsito de ciclistas, pedestres e animais, além de indicações de sentidos entre Mocambeiro, em Matozinhos, e Fazenda Fidalgo, localizada na região da Lapinha, em Lagoa Santa, incentivando o turismo na região.

Contrapartidas ambientais

Em 2013, a Linha de Transmissão (LT) Jaboticatubas – Pedro Leopoldo 3 de 138 kV, entrou em operação beneficiando milhares de consumidores nos municípios de Jaboticatubas, Matozinhos e Pedro Leopoldo. Dessa forma, a Cemig cumpriu as obrigações legais como forma de atenuar o impacto da linha, além de realizar diversas ações para a comunidade local, como, por exemplo, a implantação do Projeto de Sinalização Estrada Real do Sumidouro.

Segundo o analista de meio ambiente da Cemig, Gustavo Martins Feitosa, dentre os outros projetos que a empresa desenvolveu com a comunidade, podem-se destacar o Meu Primeiro Curta-Metragem, em parceria com a Escola Estadual Felícia Fernandes Campos, no distrito de Mocambeiro, e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) em Matozinhos, além de diversas iniciativas em conjunto com o Ecomuseu Mocambeiro, entre outros.

Parque Estadual do Sumidouro

Conforme informações do Instituto Estadual de Florestas (IEF), o Parque Estadual do Sumidouro possui área total de 2.004 hectares e está situado nos municípios de Lagoa Santa e Pedro Leopoldo, ao norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, a cerca de 50 quilômetros da capital mineira.

O Parque Estadual do Sumidouro caracteriza-se como Unidade de Proteção Integral e tem como objetivo principal promover a preservação ambiental e cultural, possibilitando atividades de pesquisa, conservação, educação ambiental e turismo.

A unidade recebeu este nome devido a sua lagoa, que possui um ponto de drenagem das águas da bacia típica dos terrenos calcários. Trata-se de uma abertura natural para uma rede de galerias, por meio da qual um curso d’água penetra no subsolo denominado sumidouro, termo que vem da palavra indígena anhanhonhacanhuva, que significa água parada que some no buraco da terra.

Dentre as principais atrações do Parque Estadual do Sumidouro destacam-se o Museu Peter Lund (arqueológico), a Gruta da Lapinha (aberta a visitação) e a Casa Fernão Dias, uma referência da passagem do bandeirante paulista pela região, um dos primeiros a desbravar o sertão do Brasil.

0 comments… add one

Leave a Comment