Pimenta da Veiga: criação de empregos de mais qualidade

Pimenta quer trabalhar para atrair empresas da chamada Nova Economia, cujos produtos geram emprego e têm maior valor agregado.

Eleições 2014

Fonte: PSDB-MG

Anastasia, Gilvan Tavares e Pimenta da Veiga. Foto:  Hugo Cordeiro / Nitro.

Anastasia, Gilvan Tavares e Pimenta da Veiga. Foto:  Hugo Cordeiro / Nitro.

Pimenta da Veiga quer novo salto econômico e mais empregos

Candidato a governador pela Coligação Todos por Minas quer atrair empresas da chamada Nova Economia para agregar valor à produção do Estado

Diversificar a economia e investir na geração de emprego de qualidade são as principais estratégias do candidato a governador Pimenta da Veiga para garantir que os bons resultados da economia mineira alcance patamares ainda maiores. Ao participar, nesta quarta-feira (20/08), em Belo Horizonte, da inauguração do comitê de campanha do candidato a deputado estadual Gilvan Pinho Tavares (PV), Pimenta ressaltou que nos últimos dez anos o PIB per capita em Minas cresceu quase 200% e que no mesmo período o Estado recebeu perto de R$ 200 bilhões de investimentos privados. Segundo ele, é preciso continuar atraindo investimentos para assegurar o desenvolvimento econômico e social.

”Queremos que todos os investimentos que possam vir para Minas cheguem efetivamente aqui para construir uma economia mais forte e mais diversificada”, afirmou. Para Pimenta da Veiga, existe a necessidade de agregar valor ao que é produzido em Minas Gerais. “O que nós queremos é aproveitar a nossa produção, sejam os grãos, seja o minério para que ele seja melhor aproveitado aqui dentro e em mais etapas, fazendo um aproveitamento dessas matérias primas aqui. Vamos atuar em todos os setores”, disse ele.

Tecnologia de ponta

Além dos setores já tradicionais da economia mineira, Pimenta da Veiga quer trabalhar para atrair empresas da chamada Nova Economia, cujos produtos têm maior valor agregado e geram emprego de qualidade. São empresas dos setores de Tecnologia da Informação e Comunicação, do setor aeroespacial, farmacêutico e eletrônico. “Minas Gerais tem um grande ambiente para a Nova Tecnologia. Queremos criar todas as condições para que esses investimentos ocorram”, afirmou.

Nos últimos anos, várias empresas dessa área se instalaram em Minas Gerais, entre elas a Six Semicondutores, que deve iniciar a produção de semicondutores em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no ano que vem. Já operam no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, os centros de manutenção de aeronaves da Gol e da Azul/Trip.

Também escolheram Minas Gerais para expandir seus negócios grandes empresas da área farmacêutica, como a fábrica de capsulas para medicamentos ACG Worldwide, em Pouso Alegre; o Centre Suisse d’Electronique et de Microtechnique (CSEM Brasil), em Belo Horizonte, que realiza investimentos em pesquisa básica e aplicada nos campos das nano e microtecnologias, engenharia de sistemas, tecnologias de informação e telecomunicação e ainda a fábrida da Biomm em Nova Lima, que atua na área de biotecnologia e vai fabricar insulina.

0 comments… add one

Leave a Comment