Pimentel fez viagem com empresário detido em jatinho

Pimentel fez viagem privada em jatinho com empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto em março deste ano.

Fernando Pimentel: ligações perigosas

Fonte: Folha de S.Paulo

O voo prefixo PR ERE levou Pimentel, Benedito, o deputado federal Gabriel Guimarães (PT-MG) e mais duas pessoas do Uruguai ao Brasil no dia 29 de março deste ano. Foto: Divulgação.

O voo prefixo PR ERE levou Pimentel, Benedito, o deputado federal Gabriel Guimarães (PT-MG) e mais duas pessoas do Uruguai ao Brasil no dia 29 de março deste ano. Foto: Divulgação.

Pimentel fez viagem em jatinho com empresário ligado ao PT detido pela PF

O governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), fez uma viagem privada em jatinho com o empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto em março deste ano de Punta del Este (Uruguai) para Minas Gerais.

Segundo documento a que a Folha teve acesso, o voo prefixo PR ERE levou Pimentel, Benedito, o deputado federal Gabriel Guimarães (PT-MG) e mais duas pessoas do Uruguai ao Brasil no dia 29 de março deste ano.

À Folha a assessoria de Pimentel primeiro negou que o governador tivesse viajado com Benedito. Depois, ao ser informada dos detalhes do documento a que a Folha teve acesso, mudou a sua resposta: ”Fernando Pimentel não era ministro nem candidato nesta época. Portanto, não vai se manifestar sobre viagens privadas”.

A assessoria não respondeu o motivo da viagem nem a relação de Pimentel com o empresário.

Pimentel deixou o Ministério do Desenvolvimento e Indústria em fevereiro para concorrer ao governo de Minas.

Nesta quarta-feira (8) o empresário e um colaborador da campanha do partido em Minas Gerais foram levados até a Polícia Federal para prestar esclarecimentos sobre dinheiro suspeito encontrado em um avião, um bimotor turboélice de prefixo PR-PEG.

Por meio de nota, a assessoria de Pimentel confirmou na quarta-feira que dois dos três homens detidos colaboraram com a campanha dele em Minas. Marcier Trombiere “prestou serviço de comunicação” e a Gráfica Brasil Editora e Marketing, de Benedito Rodrigues Oliveira Neto, o Bené, “prestou serviços gráficos”. A coligação de Pimentel soltou nota afirmando que “não pode se responsabilizar pela conduta de fornecedores”.

Bené, como ele é conhecido, esteve no centro do escândalo em 2010 no qual foi descoberto um bunker para produção de dossiês contra tucanos, montado pela pré-campanha de Dilma Rousseff à Presidência.

A Folha ligou para Gabriel Guimarães, deixou recado com uma pessoa que atendeu o telefone. A reportagem também enviou mensagens com o conteúdo da reportagem para pedir uma posição do parlamentar. ”Nossas famílias são muito amigas, de muitos anos. Com todo respeito, não me manifestarei sobre assuntos de cunho pessoal”, respondeu, em uma mensagem.

A reportagem telefonou para Benedito no seu celular, mas ele não foi localizado.

0 comments… add one

Leave a Comment