Em 2012, o PT tentou impedir solução para evitar crise de água em BH.

Em 2012, o PT tentou impedir a implantação da PPP Rio Manso, obra iniciada nas gestões anteriores para ampliar os reservatórios da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Na gestão do PSDB, as estações de Tratamento de Água saltaram de 34 ETEs em 2003, para 160 em 2014, e outras 60 estão em construção

Fonte: PSDB-MG 

PT em Minas foi contra solução para evitar crise de água em BH

Barragem do sistema Rio Manso, operado pela Copasa. Divulgação

PT foi contra solução para crise de água na RMBH. Confira

Partido do atual governador tentou impedir implantação da PPP Rio Manso, em 2012; sindicato ligado aos petistas afirmou que a obra era necessária apenas em 2025

Através de inverdades, o governo do PT falta com a realidade dos fatos em relação à crise de abastecimento de água que assola Minas e vários estados brasileiros. Mente sobre os esforços e planejamento realizados pela Copasa, em Minas, mas adota como solução a continuidade de ações implantadas pela empresa de saneamento, ao longo dos últimos anos, como a PPP Rio Manso. O que o governo de Fernando Pimentel não diz, é que, se dependesse do seu partido, o PT, a expansão do sistema de abastecimento de água de Belo Horizonte e região metropolitana não seria possível.

Em 2012, o PT tentou impedir a implantação da PPP Rio Manso, obra iniciada nas gestões anteriores para ampliar os reservatórios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Hoje reconhecida e priorizada pelo atual governo do PT, a obra foi alvo de críticas do deputado petista Rogério Correia e do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos de Minas Gerais (Sindágua), ligado à CUT e ao PT. O deputado chegou a afirmar, de forma irresponsável e eleitoreira, que a PPP do Rio Manso estaria servindo para “privatizar” o abastecimento de água na RMBH.

Convidado pelo PT a participar de Audiência Pública na Assembleia Legislativa, o Sindágua chegou a dizer que “segundo estudos da Copasa, sobre produção e demanda da água na RMBH, a obra seria necessária somente em 2025”.Leia aqui.

Agora, o governador Fernando Pimentel, não só reconhece a PPP como solução para acabar com a crise de água na RMBH, como fez aditivo ao projeto para acelerar a conclusão dos serviços e consolidar a capacidade do sistema de abastecimento da região.

O que o governo do PT também não assume para a população é que se a presidente Dilma Rousseff, aliada do atual governador, tivesse cumprido promessa feita por ela, em 2010, quando garantiu publicamente a isenção do Pis/Cofins para as empresas de saneamento e assim aumentar os investimentos no setor, poderíamos não estar lendo nas manchetes dos jornais que vai faltar água em metade das cidades brasileiras este ano, e que a falta de investimentos no setor pode levar o país a ter um colapso nos próximos 10 anos.

É importante ressaltar que, ano passado, a Copasa realizou a campanha “Água, se não economizar vai faltar”, divulgada nos veículos de comunicação do Estado. Ainda realizou visitas técnicas, audiências públicas e debates regionais por meio do Comitê de Bacias Hidrográficas.

Nos últimos 12 anos, a Copasa investiu mais de R$ 8,5 bilhões em saneamento. As estações de Tratamento de Água saltaram de 34 ETEs em 2003, para 160 em 2014, e outras 60 estão em construção. As ações levaram a Copasa a ser a única empresa do país reconhecida com a premiação máxima do Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento, pelo seu modelo de excelência de gestão. Instituído pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), o prêmio é reconhecido pela International Water Association (IWA).

Bloco Transparência e Resultado

0 comments… add one

Leave a Comment