Servas vai mudar o programa ‘Valores de Minas’

Um dos principais programas de assistência à juventude no período do PSDB à frente do governo do Estado, o “Valores de Minas” vai mudar. Entretanto, não há certeza sobre o que será alterado e a falta de informações do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), entidade que coordena o programa, deixa alunos e professores apreensivos.

Eles apresentaram dessa quarta-feira, durante uma assembleia que começou tensa, uma carta aberta à vice-presidente do Servas, Betânia Lemos. O documento contém quatro reivindicações e todas foram aceitas pela direção do órgão, o que favoreceu um entendimento ao final da reunião.

Foram solicitados a continuidade do programa, mesmo com mudanças cabíveis; a manutenção do programa com o mesmo formato previsto no Plano Pedagógico e no edital de 2015; a contratação imediata dos profissionais da área de circo; e a assinatura de um documento de conhecimento público com as exigências.

No entanto, Betânia informou que a proposta de modificar o “Valores de Minas”, incluindo cursos de formação técnica, não foi abandonada. “Nós gostamos do programa. Nosso objetivo é a expansão, o melhoramento e a potencialização. Não temos a intenção de virar um curso técnico. Só queremos oferecer aos jovens uma complementação, para que os que quiserem atuar no mercado em carreiras mais técnicas possam ter também essa opção”, afirmou.

Como encaminhamento, foi marcada uma próxima assembleia, para o dia 8 de maio, e uma ata será assinada pelos representantes do Servas e do “Valores de Minas” que estavam presentes nessa quarta-feira (29) no Horto.

Entretanto, não está confirmada a participação da presidente do Servas, a primeira-dama Carolina Oliveira, no próximo encontro.

A revolta de professores e alunos foi causada, principalmente, por causa de uma entrevista concedida por Carolina Oliveira a uma revista da capital. Na publicação, ela falou em mudanças no programa e citou informações incorretas, segundo representantes do “Valores de Minas”.

A reportagem tentou falar com a presidente, mas a assessoria de imprensa do Servas informou que ela não iria se pronunciar.

Política de Estado

Os representantes e favorecidos pelo programa agora vão trabalhar para que a iniciativa vire uma política pública de Estado, e não uma política de governo. Com isso, estaria menos suscetível às trocas que ocorrem no comando do Estado.

O programa atende a aproximadamente 600 jovens da Região Metropolitana de Belo Horizonte, a cada ano, com aulas de artes (teatro, circo, música, dança e artes visuais) e projetos complementares (laboratório de figurino, de literatura), além de realizar anualmente um espetáculo e uma exposição das artes visuais.

“A única dúvida que temos é: qual é a política que o Servas pretende implementar no Valores de Minas?” Carta da equipe de professores e coordenadores artísticos e pedagógicos do programa Valores de Minas.